Lá e de volta outra vez…

Há quatro anos, um mês e três dias atrás eu publiquei minha última receita por aqui, depois voltei pra dizer que estava grávida e que iria encerrar o blog, mas mantive no ar porque o arquivo era tão bom que não fazia sentido excluí-lo.

Em mim sempre ficou o vazio, porque nunca deixei de cozinhar mas escrever sobre comida sempre foi importante, uma forma de materializar a experiência terapêutica que a cozinha me proporciona.

O filho nasceu bem, aos 12 meses foi diagnosticado com alergia alimentar e eu pude praticar muito a arte de cozinhar já que vivemos um período em que comer só era seguro quando feito por mim.

Depois que ele se curou eu adoeci, acabei sensibilizando meu intestino e passei por um período de muitas restrições, entre uma coisa e outra engordei horrores, engordei porque não estava preocupada com o peso, porque eu cozinhava coisas muito boas, porque eu gosto de comer, porque já haviam restrições demais pra pensar no peso, por tantas outras razões que eu poderia passar a tarde digitando motivos. Me dei tempo, agora cansei, então retorno.

Retorno com novas experiências, com outras expectativas, outros hábitos, outra visão de mundo, com outras inspirações (briguei com o Jamie qdo ele se associou à Sadia e fui banida das redes sociais da Rita qdo ela desdenhou a necessidade de substituições na dieta de alérgicos), aprendi muito com muitas outras mulheres, virei ativista de um tanto de coisas e agora sou mãe, e ser mãe… ser mãe muda tudo.

Pra começarmos de maneira leve e sem nenhuma pretensão segue uma receitinha de creme de abóbora assada, que num primeiro momento todo mundo fez cara de “que coisa mais sem graça” mas depois não sobrou nadica na panela.

Creme de abóbora cabotiá assada

Fatiar a cabotiá com casca mas sem sementes, fatias de uns dois centímetros de largura (ou mais, pq abóbora é um trem difícil de cortar, rs), dispor numa assadeira de pizza, regar com azeite, temperar com sal e pimenta moídos na hora, levar ao forno alto até caramelar.

Retirar do forno e raspar a abóbora da casca,  nesse processo ela já vai se desmanchando inteirinha (ou bater com casca no liquidificador), colocar numa panela com alho refogado e deixar cozinhar até ficar homogêneo. Servir acompanhado de cebolinha (ou queijo ralado, ou gorgonzola ou pãozinho torrado) e ser feliz.

dia 1

Carne com Batatas ou Lembranças da Minha Avó

Em dias muuuuuuuuuuito felizes minha avó nos brindava com essa carninha com batatas, digo que eram dias felizes porque na maioria das vezes o almoço na casa da minha avó ou era arroz de forno ou era algum tipo de macarronada, quase sempre ao forno também, mas se havia inspiração, hmmmmm, lá vinha ela, a carne com batatas, talvez houvessem outras coisas, mas eu me lembro bem é só disso.  Herdei dela a mão pra cozinha, porque não há como negar que Dona Guió tem a manha, hehe.

300g de carne magra em cubos
300g de batata inglesa cortada em quatro
1 cebola em rodelas
1 tomate em rodelas
1 pimentão verde em rodelas
6 dentes de alho inteiros
1 colher (sopa) óleo de girassol
Sal e pimenta do reino e salsinha a gosto

            – aqueça bem o óleo na panela e sele a carne, acrescente o tomate, a cebola, o alho e o pimentão, misture bem, acrescente sal e pimenta moída na hora e feche a panela. Eu não esqueci da água não viu?! Esse é o segredo da minha avó, fechar a tampa da panela de pressão e deixar chiando até você sacudir a panela e não haver mais água dentro dela, ou até você ouvir um barulho de que as coisas estão fritando lá dentro, ou até ficar com essa aparência aí da foto.
            Depois de cozida a carne e aberta a panela acrescente as batatas, envolva no molho, tampe novamente a panela e deixe chiar por mais cinco minutos, abra a tampa, acrescente a salsinha, mexa tudo com uma colher de pau, um tanto da carne vai se desprender do pedaço e se misturar ao molho, fazendo com que fique espesso e lindo. Sirva com arroz quentinho.

3 porções de 3,9 pontos.

Vitória da Conquista, 2011.

Carne Seca com Abóbora

Carne Seca com Abóbora
 250g carne seca (traseiro)
200g abóbora madura
1 cebola grande
1 colher (sobremesa) alho batido no processador
1 colher (sopa) azeite
Sal a gosto
                – corte a carne em cubos, afervente em três águas diferentes para retirar o sal, em seguida cozinhe na pressão por 40 minutos. Escorra a água e desfie bem a carne, reserve. Doure bem a cebola e o alho no azeite, acrescente a carne, refogue, junte a abóbora, cubra com água, acerte o sal e deixe cozinhar até ficar bem macia.  Sirva com arroz branquinho e feijão fresquinho.
4 porções de 2 pontos

Vitória da Conquista, 2011.